09 abril, 2007

Deus me defenda do amigo,que do inimigo defendo-me eu.

Esquecidas na margem de um rio,duas panelas,uma de barro e outra de cobre,viviam tranquilas ao sol.Um dia as águas do rio subiram e arrastaram consigo as panelas.Lá iam elas rio abaixo.A mais temerosa era sem dúvida a de barro que se ia desviando das pedras como podia.
-Não tenha medo,comadre,disse-lhe a panela de cobre,que eu a defenderei de qualquer perigo.Vou pôr-me a seu lado e ao primeiro obstáculo que apareça,pode contar comigo.Ainda teve sorte de eu ir aqui.
-Muito obrigada,ia dizendo a panela de barro apreensiva.Mas por amor de Deus não se aproxime mais,porque você é o primeiro perigo de que devo fugir.Se vem contra mim,veja lá como eu fico!É racha certa e uma descida ao fundo do rio.Por isso se é minha amiga ,como diz,afaste-se depressa!
A panela de cobre compreendeu o susto da amiga e pôs-se à distância. A melhor ajuda era não se aproximar da frágil panela de barro.
Também na vida dos homens,muitas vezes os amigos são mais úteis ao longe do que ao perto.
Muitas ajudas dispensam-se.

04 abril, 2007

Ai!!ai!!!

Aceitaria 1000000euros para deixar o país e nunca mais voltar?

Boa Páscoa!



Muitos beijinhos para todas