16 maio, 2007

Para a Teresinha

Sem palavras...

Não são necessárias.

Um abracinho muito apertado à Teresinha (das Aranhas).

Hoje, a sua mãe partiu. Descansa agora.





O Profeta, Kahlil Gibran

"... Se quereis verdadeiramente conhecer o espírito da morte, abri o vosso coração até ao corpo da vida. Pois vida e morte são uma só, tal como o são o rio e o mar. Na profundeza dos vossos desejos e esperanças está a consciência silenciosa do além; E tal como as sementes que sonham sob a neve, também o vosso coração sonha com o desabrochar. Confiai nos sonhos, pois neles está a porta para a eternidade... Pois o que é morrer senão ficar nu ao vento e fundir-se com o sol? E o que é deixar de respirar senão libertar a respiração das suas inquietações a fim de ela poder elevar-se e expandir-se até Deus? Só quando beberdes do rio do silêncio sereis capazes de cantar. E quando chegardes ao cimo da montanha, podereis então começar a subir. E quando a terra reclamar o vosso corpo, então sereis verdadeiramente capazes de dançar."

4 comentários:

Anónimo disse...

Beijos Teresa.

Paula disse...

Muita força para ultrapasar esta etapa.Bjs G

Platero disse...

Olá Manuela

Obrigado pela visita que me fez, já passei pelo blogue do seu marido e vi a homenagem feita à vossa amiga à qual me associo apesar de não a conhecer.

Um abraço

carla disse...

Oi, muitos beijos e um grande abraço Teresa.
Força.